domingo, 15 de novembro de 2009

Link referente revisão em pdf

Educandos; 
 Este é o link para quem quiser baixar a revisão da aula de segunda-feira. Boa sorte!!!!!

http://www.4shared.com/file/152898855/3b18329f/REVISO_HISTRIA.html

Revisão prova História - 18/11

REVISÃO HISTÓRIA PROFESSOR GILBERTO– REVOLUÇÕES INGLESA E INDUSTRIAL

Revolução Inglesa.

O QUE FOI?

Chamamos de Revolução Inglesa, Revolução Puritana ou Revolução Gloriosa o movimento surgido no final do século XVII que pregava a mudança na estrutura política da Inglaterra. Puritana por ser algo ligado à religião protestante, diferente do anglicanismo defendido pela nobreza aristocrática. Gloriosa por que ao seu final a retomada do poder acabou se realizando sem derramamento de sangue.

CONTEXTOS.

A Inglaterra era governada por reis absolutistas, Elizabeth I era uma das principais representantes deste regime. Ela buscou a riqueza através do Mercantilismo (prática econômica baseada no acúmulo de metais – ouro e prata – como forma de enriquecimento, sempre com somente uma das partes levando vantagem) utilizando-se de atos como pirataria, cartas de navegação e protegendo as manufaturas inglesas vendidas em outros países. Assim Londres se torna o maior centro da Europa no final do século XVI.
Este crescimento fez com que comerciantes e produtores de lã passassem a serem mais atuantes na sociedade, principalmente duas classes ligadas ao campo: a pequena nobreza rural (gentry) que conquistou reconhecimento através da compra de títulos de nobreza e os médios proprietários rurais (yeomen), que acabaram por se beneficiar do crescimento do comércio marítimo inglês. Quanto mais vendas no exterior, mais lucros para os produtores. Esta relação cada vez mais exigia matéria-prima para o setor têxtil (lã), o que levaria ao confisco de propriedades rurais.

POLÍTICA DOS CERCAMENTOS

Foi a tomada desses territórios rurais para serem utilizados na produção de lã, através do pastoreio de ovelhas. Nesse processo muitos camponeses foram expulsos de suas terras, sendo obrigados a viverem como mendigos nas ruas de Londres ou a trabalhar em fábricas por salários extremamente baixos.

CONFLITO POLÍTICO X RELIGIOSO

A monarquia absolutista inglesa defendia o Anglicanismo. Já a classe burguesa apoiava a religião puritana. Para exemplificar as diferenças acompanhe a tabela:

ANGLICANISMO    PURITANISMO

RELIGIÃO DO REI    RELIGIÃO DA BURGUESIA

ESTADO LIGADO À RELIGIÃO    ESTADO SEPARADO DA RELIGIAO


De forma resumida: A monarquia apoiava um Estado ligado à religião, a fim de manter o controle sobre a população. Já os burgueses ligados à religião puritana defendiam um Estado separado da religião, principalmente pela necessidade econômica.

O parlamento inglês era divido em duas classes. A Câmara dos Lordes que defendia as idéias da aristocracia e a Câmara dos Comuns, ligada à burguesia.

O rei Carlos I passa a pressionar mais a classe burguesa através da criação e alteração de vários impostos. Um deles foi o Ship Money (imposto relacionado à navegação) passou a ser taxado em todo o país. Após diversos protestos, o rei passou a torturar e prender os revoltosos, como forma de controlar a situação. Isto não funcionou gerando ainda mais problemas com a sociedade, resultando em uma Guerra Civil.

GUERRA CIVIL

Período de 1642-1649 em que os nobres (cavaleiros) e os puritanos (cabeças redondas) lutaram para definir a nova forma de governo. Oliver Cromwell, representante da burguesia promove a chamada renovação no formato de seu exército, criando um sistema (New Model Army) que utilizava a competência como base, diferente dos nobres que eram escolhidos através de suas relações políticas com a monarquia.

Cromwell assume o poder e promulga os Atos de Navegação: Este estabelecia que todas as mercadorias importadas por qualquer país europeu fossem transportadas por navios ingleses ou de seus próprios países. Em 1672, especificou-se que o Capitão e pelo menos três quartos da tripulação dos navios deveria ser britânicos. Ele provocou uma forte reação dos holandeses que obtinham grandes lucros com o comércio marítimo inglês. Os dois países mergulharam numa guerra que duraram dois anos, terminando em 1654 com a vitória da Inglaterra, marcando o início efetivo de sua hegemonia marítima, que passou a ser conhecida como a “Rainha dos Mares”.

Após a morte de Cromwell seu filho assume o poder, mas não consegue manter as mesmas alianças políticas e renuncia ao cargo. Assim os antigos defensores da monarquia voltam ao poder através de Carlos II. Seu sucessor Jaime II, com o apoio de Luis XIV tenta restabelecer o Absolutismo. A burguesia novamente vai às armas para o retorno ao governo liberal. Porém Jaime II foge antes do golpe, e a monarquia passa a ser parlamentar, onde o rei tem um poder limitado.

Revolução Industrial

O QUE FOI?

A Revolução Industrial foi o processo da mudança do sistema de produção ocorrido na Inglaterra. As antigas oficinas de artesãos - as chamadas manufaturas – foram substituídas pelas indústrias modernas – conhecidas como fábricas. Entre as características da revolução podem-se destacar duas: a perca do tempo por parte dos artesãos – o relógio é introduzido como referência - e a mudança do sistema econômico para o Capitalismo – agora o importante é o contínuo reenvestimento na produção.

CONTEXTOS

A Revolução foi possível graças a alguns fatores. Veja abaixo:
•    Política dos Cercamentos
•    Acúmulo de metais preciosos - Mercantilismo
•    Abundância de carvão e ferro
•    Domínio inglês no comércio mundial

A mudança do sistema de produção passou basicamente por três períodos:
•    No início a produção era chamada de “caseira”, pois era realizada na própria casa. Neste sistema o artesão era dono do seu tempo, dos instrumentos de trabalho e conhecia todas as fases da fabricação.
•    Com a manufatura os artesãos passaram a se concentrar em galpões controlados pelos industriais. Neste período o trabalhador perde o tempo, os instrumentos e o local de trabalho. A divisão de tarefas também fez com que o trabalhador deixasse de conhecer todo o processo produtivo.
•    A maquinofatura ou industrialização ocorre quando a indústria passa a utilizar sistemas quase autônomos de produção, através do vapor. Assim a produção tornava-se muito maior e realizada em menos tempo. É aqui que surgem expressões como “tempo é dinheiro” e “não posso perder tempo”.

PRINCIPAIS INVENÇÕES

•    Tear mecânico: invento que iniciou a mecanização da tecelagem e a aplicação do motor a vapor na indústria têxtil.
•    Motor a vapor: Funcionava com a força gerada pela queima do carvão.
•    Navio a vapor: Invento desenvolvido pelos norte-americanos, possibilitando uma navegação mais rápida.
•    Locomotiva a vapor: Criada em 1825 na Inglaterra era chamada de “foguete”. Alcançava a velocidade de 45 Km/h.

VIDA NAS FÁBRICAS

A vida nas fábricas não era fácil para os trabalhadores. Péssimas condições de trabalho, locais mal iluminados, sujos. Os banheiros e refeitórios eram poucos ou inexistentes. A jornada de trabalho durava até 18 horas diárias e as pessoas, incluindo crianças eram castigadas por erros de produção.

VIDA COTIDIANA

Nas cidades industriais inglesas a população morava em bairros de ruas estreitas, sujas, tomadas de mendigos, prostitutas e desempregados. A fumaça era constante e o cheiro causava náuseas. As casas eram compartilhadas por várias famílias, os banheiros eram fossas, sem rede de esgoto. Muitas vezes os dejetos eram jogados nas ruas.

LUTA DE CLASSES

No início do século XVIII os tecelões ingleses fundaram clubes para defender seus interesses contra a burguesia industrial. Um dos principais movimentos de protesto foi o Ludismo, uma referência à Ned Ludd, que liderou a revolta, com a quebra de várias máquinas.
Estes movimentos deram origem ao que conhecemos hoje de sindicatos, após diversas revoltas. Em 1851 surge a primeira representação de trabalhadores.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Aula Geografia - 10/11/09

Última aula de Geografia - assunto América Central.
AMÉRICA CENTRAL ÍSTIMICA

•    Território e população

A América Central ístimica (territórios ligados no continente) é o elo entre a América do Norte e a América do Sul. Formada por Belize, Guatemala, Honduras, El Salvador, Nicarágua, Costa Rica e Panamá, totalizando uma população de cerca de quarenta milhões de habitantes. O mais populoso desses países é a Guatemala (12,6 milhões de habitantes). O território é banhado pelo oceano Pacífico e Atlântico, este último formando o chamado Mar das Antilhas ou do Caribe.
A população da região é formada pela miscigenação entre os indígenas da América Central e os espanhóis, durante o processo de colonização (séculos XVI e XVII). Porém na Guatemala é diferente, pois a população predominante é indígena. Em Belize e na Guatemala predominam os brancos. Baixa qualidade de vida, com altas taxas de mortalidade infantil e de analfabetismo, desigualdade social, concentração de renda marcam os países, que em sua maioria dependem da influência dos Estados Unidos.
A região do Pacífico concentra a maior densidade demográfica, pois a presença de planaltos férteis colabora para a produção agrícola, atraindo a população.
PRINCIPAIS CIDADES: Guatemala, São José (Costa Rica), San Salvador (El Salvador), e Managuá (Nicarágua).


imagem acessada em: http://2.bp.blogspot.com/_loNHBcLavVc/R90N5mWU36I/AAAAAAAAAaI/ymp7qaugTJA/s400/CentAmerica.jpg em 13/11/09 às 22:41







quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Gabarito prova Geografia 3º trimestre - 7 séries

GABARITO PROVA GEOGRAFIA

1 - O processo de expansão ao Oeste dos Estados Unidos teve como base o Divino Manifesto (acreditava-se de que as terras da colônia inglesa na América do Norte deveriam ser conquistadas com as bençãos de Deus - do Oceano Atlântico ao Pacífico) e também pela Corrida do Ouro, onde o objetivo principal era a colonização de terras por cinco anos, desde que fosse através da criação de gado, expulsando assim os indígenas.

2 - Vocês poderiam escolher qualquer um dos Belts - meu preferido é a Costa do Pacífico, que abriga as empresas de alta tecnologia, além de universidades diretamente ligadas ao assunto. A principal característica desta região é a presença do Vale do Silício (ver em http://pt.wikipedia.org/wiki/Sil%C3%ADcio) que em uma faixa de 70 quilômetros abriga as principais empresas do ramo.
Ex:Google, IBM, Yahoo!, Sun Microsystems, Intel.

3 - A principal ligação da Floresta Boreal (também conhecida como Taiga) com a economia é a produção de papel e celulose no Canadá, que dá ao país a condição de maior produtor mundial. Além disso a exploração da madeira ocorre de forma racional, aliando tecnologia e sustentabilidade, através de estudos de como, quando e onde extrair a madeira sem o risco de extinção.

4 -  Principal fator de o Canadá concentrar a maioria da população no sul do país deve-se ao clima, pois no norte das condições de vida são muito mais rigorosas. Além disso a proximidade com os Estados Unidos fez com que o pólo industrial surgisse naquela região após a Primeira Guerra Mundial.

5 - A migração de transumância ocorre quando trabalhadores mexicanos saem do país em busca de trabalho formal (legalizado) nas lavouras dos Estados Unidos, geralmente durante as colheitas. Esses trabalhadores recebem o nome de BRACEROS.

6 - As indústrias maquiadoras são aquelas que recebem "kits" de montagem de suas matrizes estrangeiras e finalizam a fabricação no México, afim de reduzir a carga de impostos, uma vez que a maioria dessas empresas localizam-se na Zona Franca do país.


PS: Viram como a prova não estava difícil!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Revolução Industrial - aula 5

Olá educandos;
Então estão aqui as principais ideias expostas hoje em sala sobre a continuação da Revolução Industrial.

CONDIÇÕES DE VIDA NAS FÁBRICAS

Com a política dos cercamentos empreendida pela Inglaterra a disponibilidade de mão-de-obra barata em Londres era cada vez maior. Assim os empresários da burguesia industrial que dominavam os meios de produção, o tempo e a sociedade, passaram a influenciar também a força de trabalho. Os trabalhadores então eram submetidos à péssimas condições de trabalho, como fábricas mal iluminadas, sujas, sem espaço para trabalhar. Além disso quase não existiam banheiros e refeitórios, além da jornada de trabalho que muitas vezes chegava a 18 horas diárias.

CONDIÇÕES DE VIDA NO COTIDIANO


Quando as pessoas estavam em casa a rotina era dividir muitas vezes um cômodo nos chamados cortiços, lugar dedicado mais ao descanço que era reduzido. Nas ruas não existia um sistema de saneamento básico adequado, com o esgoto ficando a céu aberto. Assim existe o surgimento da Cólera entre a população londrina.

EMPRESÁRIOS

Os grandes beneficiários da Revolução Industrial foram os industriais que dominavam os meios de produção. Esta classe que cada vez mais se aproveitava da realidade social dos empregados enriqueceram muito e demonstraram isto através de belas construções e hábitos de vida luxuosos. O modo de vida dos empresários foi copiado nas décadas seguintes, durante o processo de expansão internacional da industrialização, chamada de 2ª. Revolução Industrial (para países como EUA).

LUTA PROLETARIADO X BURGUESIA INDUSTRIAL

Com as péssimas condições de trabalho das fábricas inglesas as manifestações por melhores condições de trabalho passaram a serem frequentes, surgindo através da influência do general inglês Ludd (chamado movimento Ludismo), um movimento de trabalhadores que deu origem ao conhecido sistema de sindicatos.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Revolução Industrial - aula 4


Na aula de hoje vimos o surgimento de um novo sistema econômico. O capitalismo a partir da Revolução Industrial passou a ser praticado, sendo o sistema dominante até os dias atuais. Como explicado anteriormente, o mercantilismo das potências européias já não poderia mais ser a solução para os problemas financeiros desses países, como Espanha, Portugual e Holanda; pois baseava-se na exploração demasiada das matérias-primas coloniais sem o devido reenvestimento.

Além disso dentro das fábricas inglesas muitos trabalhadores antes artesãos conhecedores de todo o processo produtivo, agora eram obrigados a exercer suas funções em empresas privadas, controladas agora pela burguesia industrial. Essa camada de trabalhadores ficou conhecida como proletariado urbano, que vendia sua força de trabalho em troca de salários.

Crianças, mulheres e homens adultos trabalhavam de 14 a 18 horas por dia, com um descanço somente para as refeições. Muitos deles eram ameaçados por erros de produção, crianças eram maltradas. Além disso as condições de trabalho eram precárias, pois as fábricas não possuiam ventilação adequada, eram pouco iluminadas e sem sanitários.

Imagem acessada em http://areaescolari11f.no.sapo.pt/foto1.jpg em 10/11/09 ás 21:10